Porque não existe dízimo na Congregação?

Dízimo não!

Que a Congregação Cristã no Brasil não prega, não incentiva nem obriga o dízimo, isto já é conhecido de todos. Além do mais é bom ressaltar que a Igreja se mantém pelo espírito voluntário de seus membros que contribuem com coletas anônimas e voluntárias exercendo seus ministérios sem a expectativa de receber dinheiro ou bens materiais, algo que é vedado pelo próprio estatuto da Igreja. Mais procuro esclarecer o porque desta nossa posição, a luz da nossa regra de fé e doutrina: as Sagradas Escrituras.

O texto mais utilizado pelos defensores do dízimo como doutrina obrigatória para a atualidade é o 3° capitulo de Malaquias. Iremos analisar o contexto na narrativa em dois tópicos: Antigo Testamento e Novo Testamento. 

  • Antigo Testamento

Malaquias capitulo 3°, como já disse, é o texto central para a defesa dizimista da atualidade. Vemos nesses versos, um diálogo entre o Eterno e seu povo, que na época eram os hebreus.

6°- Sim, eu, o Senhor, não mudei, e vós não deixastes de ser filhos de Jacó!

7°a- Desde o dia de vossos pais vos afastastes de meus preceitos e não os guardastes.

Percebe-se já no início que Deus estava reclamando do fato de que seu povo havia se esquecido dos seus preceitos e mandamentos. Esse fato de se esquecer, gerava mais uma vez, uma quebra na aliança instituída desde Abraão. Me utilizo do termo “mais uma vez” porque o próprio Deus compara o povo da época a seus pais que se afastaram diversas vezes de Dele, através da idolatria, assassinato à seus profetas, entre outras transgressões. Neste instante Deus traz a mente do povo um pouco da sua propria historia. Veja por exemplo que nos 40 anos de permanecia no deserto, eles tentaram a Deus, fazendo para si ídolos como o bezerro de ouro (Dt 9:16). Serviram a deuses construídos por mãos humanas como Baal e Asteroth (Juízes 2:13), Dagon dos filisteus entre outros. Mesmo com a mão de Deus os sustentando, com o alimento chamado de maná, com a aguá brotando no meio do deserto eles transgrediam suas leis e seus estatutos. 

Vemos então que sua trajetória era marcada pela desobediência. Mais a caridade do Eterno mais ma vez era muito grande, a ponto Dele mesmo convida-los ao arrependimento. 

7° b – Voltai a mim e eu voltarei a vós – diz o Senhor Todo-Poderoso. Mas vós dizeis: “Como voltaremos?”

“Voltar-se a Ele”, era a condição para que o culto fosse aceito juntamente com seus sacrifícios. Compreende-se nesse caso que o motivo das desgraças que vinham sobre eles, era causado pela desobediência. Mais o povo parece responder: Como voltaremos”, em outras palavras estavam dizendo: Porque voltar se em nada temos errado! Então Deus os refuta com uma pergunta-resposta em que diz: “Vos me roubais nos dízimos e nas ofertas”. Veja:

8°- Roubará o homem a Deus? todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas.

9°- Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais a mim, vós, toda a nação.

Para entender melhor essa afirmação, é bom nos recordar que na lei do culto do Antigo testamento havia uma determinação feita ao povo hebreu de que 10% de tudo quando lhes pertenciam deveria ser levado para o templo, como parte de sua adoração. Um dos erros marcantes do povo estava sendo esse, que eles não estavam levando ao templo os dízimos e as contribuições para que isso fosse revertido no sustento dos levitas no serviço do templo, das viúvas e dos necessitados.

10°- Trazei o dízimo integral para o tesouro a fim de que haja alimento em meu templo. Provai-me nisto – diz o Senhor Todo Poderoso – para ver se eu não abrirei as janelas do céu e não derramarei sobre vós a benção em abundância.

O fato de não contribuir que, como já disse, era desobediência e por isso maldições estavam sobre a nação.

Agora eu pergunto a você: “Identificou qual erra o motivo das maldições sobre o povo?” O motivo concreto não erra a “porcentagem” em discussão, mais sim a não observância dos princípios da lei. O alimento no templo fazia parte da obra de piedade integralmente. Deus estava dizendo ao povo que erra necessário voltar para os seus princípios no qual o dizimo fazia parte dele, para o cultuar. Portanto dízimo não é e nunca foi um meio miraculoso, ou mesmo uma moeda de troca com Deus; a fidelidade que se devia a Ele pelos princípios da aliança era o fator de mudança.  

  • Novo Testamento 

Isto é fato: Não existe no Novo Testamento um mandamento obrigando a atualidade do dízimo. Porém é visível a obrigação do cristão em ajudar a Igreja. Vemos isso por exemplo na coleta em favor da comunidade  de Jerusalém, feita em 2° Corintios 8 e os estímulos para a coleta no capitulo seguinte. Acho ainda que esse seja o mais importante capitulo para ressaltar o que nos diz o Novo Testamento, que em resumo é isso, que é necessário contribuir com alegria. Veja: 

II Coríntios 9:7 : Cada um contribua segundo propôs em seu coração; não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.

É responsabilidade particular achar que se deve estabelecer uma simetria ou equivalência nesta contribuição. Em vista disso, o dizimo é apenas uma proporção estabelecida no Antigo Testamento, para a lei do culto ou cerimônia no templo. Já para o Novo Testamento não há essa imposição. É apenas uma forma de referência do sentido pleno que é contribuir com a casa de Deus. Deus o aprovou no Velho Testamento porém não o estabeleceu no Novo, repito, é apenas uma menção de nossa obrigação de contribuir. 

Caros, Deus certamente não irá amaldiçoar ninguém por não dar seus 10% como defendem ardorosamente alguns. Se você é cristão sabe que deve cooperar, para sustento dos pobres e manutenção da ‘casa de oração’. Estas são as razões que nos fazem crer que é necessário contribuir voluntária e se possível anonimamente.  

About Ellias Andrade

Jovem, blogueiro, membro da CCB, é cristão reformado, cursa Administração de Empresas. Umas das minhas citações favoritas foi dita por Calvino: "A fé não consiste na ignorância, mas no conhecimento..." Soli Deo Gloria

4 Comments

  1. O texto essencial NA ERA DA GRACA que mostra que o DIZIMO JA FOI AB-ROGADO PELO SENHOR JESUS, POIS O SENHOR CUMPRIU TODAS AS ORDENANCAS DA LEI), como ordenanca da era do SACRIFICIO: (ERA DA PROMESSA – ABRAAO – E DEPOIS NA ERA DA LEI – LEI DADA A MOISES), nao foi citado por quem escreveu, que trata da ab-rogacao das ordenancas da Lei pelo SENHOR JESUS CRISTO, HEBREUS 7. E o Apostolo Paulo adverte tambem em Galatas 3 que quem volta as Ordenancas da Lei fica sob a maldicao da Lei E AS PROMESSAS DADAS ATRAVES DE ABRAAO ficam interrompidas. (hebreus 7:10). O dizimo era HERANCA do sacertote da Tribo de Levi que tinha a principal funcao de fazer a expiacao dos pecados pelo povo, NUMEROS 18:21, e por isso o Sacerdote da Tribo de LEVI NAO PODIA TRABALHAR e so exercia o trabalho sacerdotal e recebia o dizimo como salario e como heranca NUMEROS 18;21), fazendo matanca de animais dia a pos dia ate que veio o SACERDOTE DA TRIBO DE JUDA, que de uma vez por toda fez o sacrificio perfeito, entregando seu corpo e sua vida por toda a humanidade, tornando-se SACERTOTE ETERNO ( HEBREUS 7:27), E FAZENDO cada servo de Deus na Era da Graca Sacerdote Real pelo Batismo do Espirito Santo. A Obra de Deus na Era da Graca se faz com ofertas voluntarias (2 Corintios 9:6), com amor e compaixao ao proximo para atender a necessidade da igreja, os servos de Deus na terra, e da obra de caridade, e Deus multiplicara a sementeira conforme nos ensina o texto sagrado. QUE O SENHOR NOSSO DEUS ABENCOE A TODOS E QUE O SANTO ESPIRITO DE DEUS POSSA ESTAR NOS CONDUZINDO A TODA VERDADE, que eh o proprio SENHOR JESUS, A PALAVRA SAGRADA DE DEUS, pois as coisas do Altissimo se aprende pelo Espirito e nao pela letra ou estudo. A SANTA PAZ DO NOSSO SENHOR JESUS CRISTO ESTEJA E SEJA COM TODOS OS SERVOS DE DEUS NA TERRA.

    Curtida

  2. ERRATA: E o Apostolo Paulo adverte tambem em Galatas 3 que quem volta as Ordenancas da Lei fica sob a maldicao da Lei E AS PROMESSAS DADAS ATRAVES DE ABRAAO ficam interrompidas (GALATAS 3;10).

    Curtida

  3. “”Grão de areia na praia. Um no meio de 7 bilhões… Cristão no meio de “cristãos”. Sou cristão reformado, numa comunidade não reformada. Faço minhas as palavras de Calvino: “A fé não consiste na ignorância, mas no conhecimento..””

    Interessante falar em conhecimento e ignorância.

    Você fez um texto gigante em cima de algo errado: “Percebe-se já no início que Deus estava reclamando do fato de que seu povo havia se esquecido dos seus preceitos e…”

    Deus não estava reclamando e nem cobrando do povo. Ele estava falando ESPECIFICAMENTE com os sacerdotes.

    Malaquias 2:11 “E agora esta advertência é para vocês, ó sacerdotes.”

    Esta pequena diferença pode causar uma ENORME confusão, fazendo acreditar que as pessoas que não dão dinheiro na igreja, estão roubando de Deus, assim como os pastores pregam que o “povo” estava roubando.

    Enfim, como é calvinista e reformado, peço que estude um pouco mais.

    Se possível, leia Malaquias inteiramente.

    Paz.

    Curtida

    1. Rodrigo Ribeiro obrigado por comentar!
      O livro de Malaquias tinha o propósito de chamar a nação israelita, que vivia tempos de desanimo, para a renovação da fé, especialmente por causa do anuncio da vinda do Messias. O povo estava cético e desiludido quanto às promessas de Deus, e totalmente indiferente quanto ao seu modo de viver, servir e adorar a Deus confiando em suas promessas. No capitulo 1 dos versos 1 até 5, Deus declara seu amor especial pelo povo israelita apesar das dificuldades enfrentadas devido ao exílio. Apartir do verso 6 até 2:16 vemos que toda a nação estava em rebeldia contra Deus, e que os sacerdotes em total descaso pelo nome de Deus, perverteram o culto bem como toda a lei.
      Do cap.1 vers. 6 até 2:1-9 realmente vemos as violações especificas dos sacerdotes; mas apartir do verso 10 até 16, lemos as violações do povo. Perceba a separação.
      E do cap. 2:17 até 4:6, Deus havia decidido que iria julgar seu povo com justiça, dando ainda a chance para o arrependimento. Em 2:17 a 3:5 a garantia da justiça; em 3:6 a 12, a oferta divina de bênçãos; e de 3:13 a 4:6 a importância de servi-lo.
      Quando usei a palavra reclamar, quis dizer que Deus estava manifestando insatisfação contra toda infidelidade do povo de Israel, que estavam sendo desleais em seus relacionamentos uns como os outros, como também sociais e econômicos. Talvez você não tenha entendido que a analise do texto é de desmistificar essa obrigatoriedade arbitraria do dizimo baseada especificamente sobre esse texto, que por ai é muito usado para esses fins. E como mostrei acima, há uma separação clara sobre as violações do povo em geral (especificamente sobre os princípios da lei), e a dos sacerdotes, que vai contra o que você disse ser somente para os sacerdotes!
      Portanto acatando sua indicação de releitura, percebi que essa “ENORME confusão” como você disse, me perdoe mas não procede. Me permita também lhe indicar a reler o livro de Malaquias com mais atenção. Mais uma vez obrigado por comentar.
      Deus abençoe!

      Curtida

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alteração )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alteração )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alteração )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alteração )

Conectando a %s